Tecnologias NIR detectam carne vencida em segundos

Tecnologias inovadoras utilizam a Espectroscopia de Infravermelho Próximo para análises imediatas e não destrutivas de teor de umidade, quantidade de proteína e quantidades de ácido sórbico e asórbico, em qualquer tipo de carne

Novas alternativas estão disponíveis no mercado para modernizar a inspeção da qualidade das carnes no Brasil. O Espectrômetro de Infravermelho Próximo, MicroNIR, fabricado pela empresa norte-americana Viavi Solutions e as Câmeras Hiperespectrais da SPECIM, utilizam o poder da espectroscopia NIR para quantificar e identificar qualquer tipo de substância em segundos, agilizando o processo preliminar de inspeção de qualidade, além de torna-lo mais preciso utilizando conceitos quimiométricos. Os equipamentos estão disponíveis no Brasil por meio de representação exclusiva pela empresa ASTRO34.

Hoje, a inspeção da carne, tanto em âmbito federal, estadual ou privado, é feita por laboratórios privados. Os laboratórios normalmente utilizam alguns métodos de bancada, como por exemplo, o método laboratorial Kjeldahl. Esse método é usado para a determinação de nitrogênio em materiais biológicos e não-biológicos, demorando até 4 horas para chegar ao resultado. Com a espectroscopia NIR, essa análise seria feita em segundos, podendo ser realizada em campo e no processo de produção, com monitoramento em tempo real.

“O uso da espectroscopia NIR para análises de carnes já é muito utilizado por empresas no exterior” afirma Prof. Douglas Barbin, Doutor em Engenharia de Biossistemas pela University College Dublin. “No Brasil, as empresas poderiam substituir alguns métodos tradicionais de bancada por métodos mais imediatos, usando a espectroscopia NIR”.